16 de outubro de 2021

Campanha de combate à violência menstrual no Maranhão será lançada nesta terça-feira (14), em São Luís

Representantes de 15 instituições públicas e entidades da sociedade civil organizada farão o lançamento da Campanha de Combate à Violência Menstrual no Maranhão, nesta terça-feira (14), às 9h, no auditório do Fórum Des. Sarney Costa, em São Luís. A iniciativa, idealizada pelo Movimento de Mulheres de Axé do Brasil (MAB), tem como objetivo arrecadar absorventes até o dia 20 de novembro deste ano, para serem doados a meninas de Axé e mulheres em situação de cárcere no estado.

Em razão do protocolo de prevenção à Covid-19, serão tomadas todas as medidas de controle da doença, como a adoção do distanciamento, do uso de máscaras e do álcool em gel.

Durante o lançamento da campanha, a ideia é chamar a atenção da sociedade para uma triste realidade, que atinge muitas mulheres e homens trans em situação de vulnerabilidade. Segundo dados do relatório “Livre para Menstruar”, uma em cada quatro adolescentes brasileiras não tem um pacote de absorventes quando menstrua. Uma outra pesquisa aponta que 22% das brasileiras de 12 a 14 anos não têm acesso a produtos de higiene específicos para o período menstrual, número que sobe para 26% na faixa de 15 a 17 anos.

Pela Defensoria Pública, a campanha é coordenada pela ouvidora-geral da instituição, Fabíola Diniz. Ela explicou que antes mesmo do lançamento, a Defensoria iniciou a divulgação e já estava recebendo muitas contribuições de defensores públicos, servidores, estagiários e demais colaboradores.

Além da DPE/MA, integram a campanha, alguns servindo como ponto de coleta dos absorventes menstruais, o TJMA, o Conselho Nacional de Ouvidorias das Defensorias Públicas, Secretaria estadual da Mulher, Secretaria estadual de Igualdade Racial, deputada Ana do Gás, Mulheres de Axé do Brasil núcleo Maranhão, Ilê Ashé Ogum Sogbô, Abayomi Juristas Negras, Unidade de Monitoramento Feminino e Coordenadoria estadual da Mulher do TJMA, Casa da Mulher Maranhense, Plan International e Secretaria municipal de Direitos Humanos de Paço do Lumiar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *