25 de outubro de 2021

Dayane Mello é impedida de falar com os advogados sob ameaça de expulsão de A Fazenda, relata defesa

Compartilhe sem moderação

A defesa da modelo Dayane Mello emitiu uma nota de repúdio, nesse domingo (26) alegando que a Record TV está impedindo, sob ameaça de expulsar a cliente de “A Fazenda 13”, que ela fale com os advogados sobre a polêmica com o cantor Nego do Borel, expulso suspeito de estuprar a peoa.

De acordo com a equipe da participante, “foi negado a ela, o seu direito como vítima, de falar com as autoridades e seus advogados sobre o ocorrido, sob ameaças da produção de expulsão da mesma caso o fizesse, ultrapassando qualquer protocolo e cláusula contratual”.

Também conforme a defesa da modelo, a Record TV, “banalizou um caso tão grave” e “colocou a vítima como vilã” em uma edição que classificou como “triste e absurda”. 

“Segundo o programa exibido, o resumo da noite da vítima foi correr atrás do homem que a violentou, dando indícios e sinais afirmativos para que o mesmo se sentisse livre para praticar o ato. Mostrando uma narrativa distorcida dos fatos, na qual a vítima do abuso como alguém que buscou se colocar naquela situação, além de romantizarem todo o ocorrido”.

‘Partes importantíssimas’ foram ocultadas, diz nota

A nota de repúdio também diz que, “para vender ao público a história construída“, o programa ignora a relação de Dayanne Mello com outra competidora, “com quem já trocou diversos beijos e nenhum foi exibido”. 

Acrescenta que foram ocultadas “partes importantíssimas”, como o estado de embriaguez em que a modelo se encontrava, “inclusive precisando de ajuda de quatro pessoas para vesti-la, não conseguindo sequer se segurar em pé. 

‘Falas repugnantes’

Os advogados destacam que “esconderam dos olhos do público as diversas vezes que Dayane disse para parar, que não podia e que não queria. “Não mostraram as falas repugnantes do participante falando que precisava de concentração para seu órgão íntimo estivesse rígido o suficiente para praticar os atos sexuais”.

Foi criticado pela defesa, também, o momento quando “expuseram no programa a conversa da Dayane com um psicólogo, homem, que mais parecia um interrogatório sobre fatos que ela nem sequer tinha ciência, inclusive direcionando e induzindo várias de suas respostas”.

Decisão da emissora 

Durante a exibição do programa deste sábado, a apresentadora Adriane Galisteu enfatizou que a emissora investigou as acusações de estupro e decidiu pela expulsão do funkeiro. 

Alguns fatos ocorridos, na madrugada, demandam esclarecimento. O primeiro deles é que o participante Nego do Borel está fora da Fazenda“, anunciou.“A produção do programa e a Record TV apuraram, desde muito cedo, com toda a cautela e cuidados necessários, os fatos envolvidos nesta questão”, completou.

A apresentadora explicou também que alguns pontos do depoimento de Dayane foram cruciais para que a decisão sobre a expulsão de Nego do Borel fosse tomada. Em pelo menos dois momentos da conversa de Dayane com a produção do programa, após o episódio da madrugada, ficou claro que a peoa não se lembrava do que aconteceu. 

O primeiro momento foi quando os outros participantes pediram para que ela saísse da cama. Mileyde chegou a puxar Dayane pelas pernas e a colocou em outra cama. Em conversa com a produção d’A Fazenda, ela disse não se lembrar. O segundo foi quando ela falou para Nego do Borel parar. “Eu tenho uma filha”, disse, em seguida. Dayane afirmou que não se lembrava.

“Existe uma regra do jogo que diz: ‘Qualquer atitude que possa ameaçar ou colocar em riso a integridade física de um ou mais participantes pode levar à expulsão’. O entendimento da produção e da direção da Record foi que Nego violou essa regra agindo de uma maneira não condizente com o jogo que nós pretendemos e organizamos por aqui”. ADRIANE GALISTEU
Apresentadora

Galisteu encerrou o programa de sábado deixando um recado: “quero dizer para vocês que, depois de tudo o que aconteceu, depois de tudo isso, vale o recado. Quando uma mulher diz não, é não. Quando uma mulher diz sim, também é não”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *