16 de outubro de 2021

Insatisfeita com a Record, Netflix decide esconder reality de Rodrigo Faro

Rodrigo Faro não é rejeitado só pelos telespectadores da Record. O apresentador, outrora queridinho do público, foi rejeitado também pela maior plataforma de streaming do mundo. Insatisfeita com os resultados da parceria firmada com a emissora para a produção de duas temporadas do Canta Comigo, a Netflix optou por praticamente ignorar os novos episódios da versão adolescente da competição musical. Por conta do acordo ter sido fechado antes da entrega dos conteúdos, a nova temporada até está sendo disponibilizada pelo serviço, mas sem destaque algum, sendo vista como um produto de terceira categoria.

Habitualmente, a plataforma de streaming cria capas e trailers para todos os conteúdos que são disponibilizados no catálogo do serviço, até como forma de chamar mais atenção dos usuários que não sabem o que querem assistir. Foi o que aconteceu com a primeira temporada do Canta Comigo sob a apresentação do marido de Vera Viel, exibida em abril, que conta até hoje com uma página especial no aplicativo. O novo ciclo, porém, foi literalmente jogado no ar: a temporada foi colocada no ar sem uma capa e é ilustrada apenas com uma foto de Rodrigo Faro fazendo careta.

Ao clicar na imagem aleatória do apresentador, o assinante da Netflix se depara com a página da segunda temporada do Canta Comigo Teen. Por lá, chega a ser impossível existir algo mais genérico: no lugar em que são exibidos trailers ou fotos em tamanho maior dos conteúdos, há um imenso logo da plataforma de streaming em tons cinza, alertando aos clientes que trata-se de uma atração com “prévia indisponível” — a reportagem acessou dezenas de outras coisas disponibilizadas, inclusive recentemente, e todas elas tem algo neste espaço, menos o reality show da Record.

TV Pop apurou que não está nos planos da Netflix renovar a parceria com a Record. Ao assinar o contrato com a emissora, a gigante do streaming esperava receber um produto de qualidade, tal qual acontecia nas temporadas que foram apresentadas por Gugu Liberato. Ela, porém, recebeu algo muito diferente: o formato foi modificado e ganhou foco em histórias tristes e de superação, ao ponto da co-apresentadora Ticiane Pinheiro conceder entrevistas dizendo que as gravações tiveram que ser interrompidas por conta dela ter se emocionado demais com alguns casos.

A insatisfação da Netflix com a Record já existia no formato habitual da atração, disputada entre adultos. A emissora também apostou em extensos VTs melodramáticos contando os dramas pessoais dos participantes e sequer se deu ao trabalho de perguntar qual era a opinião da parceira sobre a nova abordagem dos participantes que foram escolhidos para participar da atração. Pelo contrário: o canal fez questão de sabotar a sua parceria com o streaming, proibindo os jurados do programa de falarem sobre ele antes da estreia na televisão aberta — por contrato, o serviço tem direito aos episódios do Canta Comigo com antecedência de 48 horas.

Os executivos da plataforma de streaming haviam decidido apostar no Canta Comigo justamente pela qualificação do programa em suas primeiras temporadas. Internamente, ele era visto como um programa diferenciado e que poderia até mesmo repercutir em outros países, tanto que o serviço fez questão de ter direito a exibir o reality show em todos os países em que atua. Para a Netflix, não faz o menor sentido ter em seu catálogo um programa sensacionalista, que destoa do tom adotado por literalmente todos os outros realities transmitidos pela empresa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *