Contratações de fim de ano devem crescer mais de 9% em São Luís

26 de outubro de 2021 Por Sólon Vieira 0
Compartilhe sem moderação

Em setembro, a confiança do comerciante de São Luís seguiu a tendência de otimismo e cresceu 2,02% no comparativo com agosto. 

A variação positiva no índice, que chegou à marca de 126,3 pontos pela primeira vez em 2021, foi apontada no levantamento mensal do Índice de Confiança do Empresário do Comércio (Icec), realizado pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Maranhão (Fecomércio-MA) e Confederação Nacional do Comércio (CNC).

Após um declínio do indicador no primeiro semestre, tendo chegado este ano em seu patamar mais baixo no mês de maio, com 109,7 pontos, próximo à zona de indiferença, o índice apresentou melhora consistente e já supera o dado de janeiro (122,9 pontos), por dois meses seguidos: agosto e setembro.

A projeção da confiança do empresariado local é de alta também para os próximos meses, mesmo tendo sido afetada pelos efeitos da pandemia, aumento de juros, inflação e travamento de pautas legislativas que tendem a afetar em maior magnitude o empresário, como a reforma tributária.

Expectativa do comerciante em alta

O subindicador de ‘Expectativa do Empresário do Comércio’, mesmo com as condições econômicas não tão satisfatórias, manteve-se com alto otimismo, encerrando setembro com 159,8 pontos, alta de 1,08% em relação ao mês anterior. O indicador tem apresentado relativa estabilidade, apontando que, à exceção dos meses de abril e maio de 2021, o empresário do comércio tem mantido, na média, uma alta confiança na melhora do segmento.

Investimentos no comércio

O índice de ‘Investimento do Empresário do Comércio’ tem demonstrado, mediante a alta das expectativas do setor, maior possibilidade de expansão da capacidade produtiva das empresas. Em setembro, o subindicador fechou em 116,7 pontos, alta de 2,73% em relação ao mês de agosto. Neste índice, a perspectiva de ‘Contratação de Funcionários’ também foi relevante. Para empresas com até 50 empregados, a intenção de contratar novos colaboradores fechou o mês em 153,4 pontos. Já para aquelas com mais de 50 empregados, o dado foi mais otimista e atingiu a marca de 166,7 pontos.

“Mesmo em um cenário ligeiramente adverso, estas empresas estão buscando aprimorar cada vez mais sua capacidade produtiva, ampliando o número de contratações e, assim, dinamizando a economia local”, ressalta o presidente da Fecomércio, José Arteiro.

Para os próximos meses, a expectativa é que o volume de contratações no comércio cresça, em média, 9,25%, incentivado especialmente pelas empresas acima de 50 empregados. Os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Ceged) do mês de agosto já apontam a criação de 453 postos de trabalho para o comércio de São Luís, em 2021.

Em uma análise mais setorial, o setor de bens de consumo semiduráveis (roupas, calçados etc.) tem crescido de maneira significativa, ainda que o setor de bens de consumo duráveis (automóveis, eletrodomésticos, imóveis etc.) tenha crescido de maneira ainda mais acelerada nos últimos meses.