Maranhão completou 7 dias sem máscaras em locais abertos

Compartilhe sem moderação

O governador Flávio Dino anunciou em coletiva à imprensa, na quinta-feira (11), no Palácio dos Leões, edição de novo decreto referente à Covid-19. O documento traz novas medidas ainda mais flexíveis, como o uso facultativo de máscaras em lugares abertos, bem como a autorização de prefeituras decidirem a realização, ou não, das festas de fim de ano e carnaval.

Na ocasião, Dino atualizou o cenário da doença no estado, ressaltando a redução expressiva na ocupação de leitos Covid-19 e nas taxas de óbito e de transmissão.

O novo decreto prevê que em lugares abertos, o uso de máscaras passa a ser opcional em todo o Maranhão. Quanto a lugares fechados, a máscara é opcional para cidades com mais de 70% da população com 2 doses ou dose única. Para cidades com menos de 70%, em que estabelecimentos não exigirem comprovante de vacinação, o uso continua sendo obrigatório. Os prefeitos podem editar normas exigindo o uso da máscara, de acordo com a situação em cada cidade.

A realização presencial de reuniões e eventos públicos e privados, inclusive festas de fim de ano, carnaval, eventos agropecuários e entre outros, deverão ocorrer conforme decisão municipal, diante da situação local. Os municípios deverão considerar o avanço da vacinação, a ocupação de leitos, que a contaminação deve ser menor que 1, e observar as regras sobre o uso de máscaras.

Segundo o Dr. Marcos Pacheco, secretário de Políticas Públicas e membro do Comitê Científico do Consórcio Nordeste, ainda é cedo para afirmar que mudou algo por conta da flexibilização no uso das máscaras ” O momento é de muita atenção e cautela, mas não houve até agora nenhum aumento significativo de casos e nem de óbitos da covid nesse período de 7 dias após a liberação.”

O novo decreto também estipula que os municípios devem comprovar a aplicação de, pelo menos, 85% das vacinas já repassadas pelo Governo do Estado, para receberem novas remessas do imunizante. Na oportunidade, o Governo do Estado irá deslocar equipes para apoiar municípios com baixa vacinação, bem como realizar redistribuição de vacinas para permitir que a 3ª dose seja aplicada em pessoas com 50 anos ou mais, conforme calendário definido por cada cidade.

O secretário diz que o momento no Maranhão é de um leve conforto, mas que precisa de atenção em algumas cidades, que ainda estão ocorrendo mortes por conta da COVID em números que não podem ser ignorados. Caso de São Domingos, onde cinco pessoas morreram em uma semana. A maioria dos óbitos são de pessoas que não tomaram a vacina.

Foi mantida a previsão de que empregados e servidores públicos com sintomas devem ser afastados por 14 dias; limpeza das mãos e ambientes arejados; e a possibilidade de prefeitos editarem regras mais rígidas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *